sábado, 9 de novembro de 2013

Simplesmente Ame - Joice Lourenço

 
 
Melissa leva uma vida sem grandes emoções enquanto vive praticamente escondida atrás do balcão da sorveteria em que trabalha. Mas, quando menos espera, a própria vida resolveu lhe sorrir e a colocou frente a frente com Érique. De início, ele não parecia ninguém importante, mas, em pouco tempo, os braços fortes e acolhedores daquele rapaz passaram a ser o único refúgio de Melissa. No entanto, as coisas não saíram como ela planejava. Depois de tantos acontecimentos estranhos e inesperados, as armadilhas do destino acabaram separando o casal. Por que, de repente, tudo começou a desmoronar e nada mais parecia fazer sentido? Melissa precisava de respostas, mas ninguém, absolutamente ninguém as queria dar, e ela não sabia mais com quem contar. Estava rodeada de segredos e mistérios. Afinal, o que estava acontecendo?

 
Melissa como qualquer jovem tem seus problemas familiares, quem nunca se estressou  com a mãe por conta de uma louça pra lavar que atire a primeira pedra !
 E com o tempo ela percebe que não há controle para as ações do Ser humano, que pode ser muito ruins ou maravilhosas. O que mais admirei nesse livro foi a forma como a personagem se refere a Deus. Ela o conhece somente de ouvir falar, mas DEUS conhece a conhece perfeitamente.
 Todos os conflitos são intensos, mostrando o que realmente pensamos ou agimos diante das dificuldades, os personagens não poderiam ser mais perfeitos para as situações que enfrentavam (E nem comento que Érique entrou no meu hall) ...
 E é assim que a querida Joice trabalha no livro. Mostrando o Amor incondicional que Deus tem por nós e que quando mais próximos estamos de Dele descobrimos que quando "o viver é Cristo, o morrer é ganho!"
 
 
Tudo que posso dizer é leia e deixe que Deus faça o resto!
 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Escolhas


 
Da janela do seu quarto, Diana contemplava a chuva a cair. Admirava-se sempre,
pois as gotículas de água rompiam o ar com tanta facilidade que pareciam dançar em
comemoração à sua liberdade. Era preciso fazer uma escolha,
 não tão simples como levantar, andar ou até correr.
 
Uma escolha que carregava consigo o peso de uma possível consequência.
Mas Diana não se importava com o que colhia, ela sabia assumir seus erros. Tudo que
precisava ser feito começaria com uma escolha.
A escolha que Diana ainda hesitara a fazer por achar que ainda não estava preparada.
 
Sim, ela esperava por um sinal, mas não saberia como identificá-lo.
Tentava organizar suas ideias, mas Diana não percebia que o sinal estava bem ali.
 E junto com
o relâmpago do lado de fora da sua janela clareando toda rua, um relâmpago mental clareou
seus pensamentos: imediatamente Diana organizou suas coisas em uma bolsa,
 sentou em sua escrivaninha e começou a escrever a sua carta de despedida.
Diana fez a sua escolha.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

O Banco


 Tudo que Giovana queria era ser uma garota normal, estudar, passear com os amigos, etc. Mas Ser filha do Grande empresário Ciro Albuquerque , dono de uma rede de fast foods sempre a deixou transtornada pois existiam muitos amigos, mas não sabia se podia confiar neles. Giovana acabava se tornando uma pessoa solitária.

Certa vez ao caminhar pela movimentada praça da sua cidade, um grande barulho  tomou atenção de Todos, Giovana mesmo se assustara e estava procurando pelo barulho quando se deparou com uma rapaz  sentado em um banco, encurvado sobre uma folha desenhando, nada parecia tirar sua preocupação. – Interessante – Pensou Giovana, a Expressão do rapaz a deixou intrigada. O Rapaz ficou concentrado em seu trabalho por toda tarde, até que o sol começou a se por. Ele guardou cuidadosamente o papel e se foi. Giovana somente observou.

- Será que hoje o encontrarei? – pensou Giovana quando teve que passar pela praça mais uma vez, e notara logo que o Lindo e agora misterioso rapaz estava sentado no mesmo lugar. Parou para observa-lo de longe e se perdeu em seu tempo, era tão fácil que Giovana quase admirava-o em seu trabalho, no dia seguinte a cena se repetiu.. e mais uma vez e mais uma vez.

Certa vez, ao chegar à praça para sua excitante rotina de observar o Misterioso rapaz, Deparou-se com um banco vazio, ainda ficou por alguns minutos, deu algumas voltas para se certificar de que ele não sentara em outro banco, mas o fato era mesmo que ele não estava lá. Os dias passaram e a mesma cena se repetia – Banco vazio – Mãe com bebe – Jovens rindo de uma mesma revista – nunca o belo Rapaz e seu desenho. Passado algumas semanas Giovana o viu, seu coração palpitou, ele corria em direção a um carro e rapidamente sumiu de vista. Inconformada com a cena, caminhou triste até o famoso banco e lá viu algo diferente. Uma pasta Azul e ao abri-la um desenho de um rosto perfeitamente esculpido de uma mulher. Parecia ser uma jovem de talvez 18 anos, era linda com olhos marcantes com um azul profundo. No fundo Giovana sentiu ciúmes, se achava idiota por pensar nele com intensões e mesmo que o conhecesse aquela linda mulher poderia ser sua namorada. Doeu ao pensar nisso. Com o passar dos dias, Giovana sempre ia a praça no mesmo horário de sempre para tentar encontra-lo, até que desistiu e parou com a rotina, mas o desenho sempre ficou em sua bolsa caso o encontrasse.

-Já disse que não vou fazer Administração nessa faculdade Pai!!! – Exclamava furiosa

- Pense bem Giovana, Depois que fecharmos com essa Faculdade, não precisaremos pagar, e você faz esse curso, para me ajudar a seguir com a empresa! – Dizia o Pai aos berros, tentando entender aonde ele errou com essa menina tão geniosa.

-O Senhor não vai perguntar nem o que gostaria de fazer ??? Que época o senhor nasceu pra achar que pode decidir coisas importantes por mim? Vai querer escolher meu marido também? – Antes que Ciro pronunciasse uma palavra, Giovana correu porta a fora, batendo os pés com raiva, pensando na conversa idiota que teria depois com ele.

-Quem ele pensa que é? – Nunca me ouve? – Marchava rumo a praça quando ouviu o barulho de uma buzina.

-Cuidado Garota!! – pelo susto Giovana deu um pulo se desequilibrou e caiu sentada na calçada, não tinha percebido que o sinal estava vermelho para pedestres e estava atravessando a rua quando um carro passou raspando.

Algumas pessoas vieram ao seu encontro, e pelo susto ela mal conseguia levantar. Foi acudida por uma rapaz que a levou até o banco mais próximo com uma promessa de voltar com agua.

Sentada, ainda tentando esfriar a cabeça da raiva e do susto, Giovana percebe que não esta sozinha no banco e que seu companheiro era o Lindo e Misterioso garoto do desenho.

Sem reação, já esquecera dos problemas e começou mentalmente a pensar numa forma de iniciar a conversa já que ele estava tão absorto em sua ideias.  O Rapaz percebeu uma inquietação ao seu lado e olhou curioso e viu uma Garota com um olhar cativante que parecia querer falar alguma coisa, observa ela mexendo na bolsa e retirando algo que ele estava começando a reconhecer: Sua Pasta de desenhos com um desenho que ele dedicou muito tempo para concluir.

Apesar de nenhuma pergunta ser feita, o misterioso rapaz começa a falar  - Você não tem noção de como amo essa mulher! Ela é simples, charmosa, e eu não sei o que seria de mim se ela morresse – Observando o olhar espantado de Giovana continuou – Ela é minha irmã, nesse momento está no Japão em um tratamento de câncer. Fiz esse desenho para entregar a ela antes da viagem, mas acabei perdendo.  Que idiota!

 - Que lindo! – Giovana conseguiu falar e percebeu que estava com os olhos marejados.  Comovera-se com a breve história, mas no fundo seu coração se alegrava.

-Prazer!  Taylor! – Ele disse ao estender a mão

-Giovana!

Taylor ficou muito agradecido, e a partir daquele momento começaram uma simples amizade, sempre se encontravam naquele  banco no mesmo horário,  quase todos os dias.

Não usavam telefone, nem internet,  era só eles e o banco.. Mas no coração do Taylor uma data se aproximava, com um pedido ensaiado de namoro e uma foto também desenhada, mas agora da pessoa que ele secretamente estava começando a amar.

domingo, 30 de junho de 2013

Amor, És Real



Mariana, uma jovem do interior de Minas, já sofreu muito por amor e atualmente mantém a ideia fixa na cabeça de que esse sentimento não passa de invenção das pessoas para criar filmes e vender muitos livros. Rodrigo, um paulistano, chega na cidade de Formiga e se apaixona logo de cara pela linda garota, mas vai perceber que para ter a mulher amada não bastará galanteios, presentes e buques, para derreter e conquistar a confiança da amada passará um dobrado. Resistente ao amor, Mariana custa a aceitar o sentimento que brota em seu coração. E o que Rodrigo terá de fazer para conquistar de vez a moça?(Texto retirado do livro).

 
Amor, És Real
Autora: Daniele Nhasser
Editora: APED
Páginas: 263
Ano: 2013
 
 
 
O que fazer quando a razão e a emoção entram em conflito?




Conheça Mariana, uma simples menina do interior que só que tocar sua vida ao lado de sua família, trabalhando e estudando... Prefere um bom livro a uma saída sábado à noite! Que nunca se destaca numa multidão, e prefere assim e que a última coisa que quer é entrar em um relacionamento, já que está certa de que sairá ferida.

Quando comecei a Ler Amor, És Real de Daniele Nhasser tinha prometido deixa-la atualizada de cada capitulo lido (Desculpe Dani), alguns probleminhas técnicos que passei me impediram, mas estou aqui pra falar em primeira mão sobre o primeiro romance Brasileiro que leio.

Mariana tem seus planos frustrados quando Rodrigo chega na Cidade.. Bonito, inteligente, atencioso e RICO (xiiiiuu.. isso é só um detalhe rs) já de cara, mas com relutância, Mariana se apaixona (ela não admite.. mas eu sei).. o Anjo, como Mariana carinhosamente o chama, começa a estar nos lugares certos e nas horas certas (quem não se apaixonaria?), Bem não preciso entrar em detalhes pra falar o que eles começam a namorar e quando tudo indicava um romance como qualquer outro (amo clichês.. já disse aqui, não disse?!) P O OW (momento clímax) o livro toma um rumo interessante com acontecimentos que me deixaram pasma.. E que não vou contar!!!!

De cara me identifiquei com a Mariana, em vários quesitos, mas o principal é que eu também tenho uma mãe chamada CRISTINA.. *_*  e que é tão diferente quando a Mamis da Mah. O livro foi escrito como se a própria Mariana estivesse nos contando tudo (me senti a melhor amiga dela, desculpe Luzia e Barbara) E o Maurílio? Que criança fofa, esperta e amorosa. Mas não posso terminar esse post sem falar do Rodrigo (que entrou para o hall dos personagens que gostaria de casar), mesmo tendo uma posição social elevada a sua simplicidade se destacou. Bem apesar de tudo que passamos (a vida não é fácil), sei que todos temos um pouco da Mariana do inicio o livro com suas desilusões e um pouco da Mariana do fim do livro com seus sonhos e metas... E Aprendemos que o amor mesmo desacreditado, falho e doído no final isso já não importa porque quando é verdadeiro o Amor, És Real.

domingo, 16 de junho de 2013

Amor, és Real - Daniele Nhasser

 
 
               Olá Caros 16 seguidores, hoje quero apresentar minha última (ou uma das últimas) aquisição: Amor, És Real da querida Dani Nhasser.
 
Conheci a Dani através do Skoob, aonde ela me apresentou a Mariana, personagem principal do romance... e não por ser um pouco compulsiva por livros, mas por ter gostado da história lendo apenas o primeiro capitulo, entrei em contato com ela pra poder adquirir uma cópia...

 Chegou essa semana, e já estou ansiosa para começar a ler..
  1.  Recebi uma linda dedicatória e um marcador de texto muito fofo, enfim não vejo a hora de concluir e começar minha resenha!
 
Se quiser entrar em contato com a Dani pelo skoob só clicar (aqui).. ou pelo Face (aqui).
 
 






domingo, 2 de junho de 2013

Divergente - Veronica Roth

 
 
 
 
Divergente
Autora: Veronica Roth
Edição: 1
Editora: Rocco
Ano: 2012
Páginas: 502
Tradutor: Lucas Peterson
 
 
 
 
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
 
Quando decidi comprar DIVERGENTE, tinha recentemente acabado de ler Jogos vorazes e consequentemente me interessado muito nas sagas distópicas. A proposta inicial de Veronica Roth é explicar como o mundo foi afetado pela guerra e como a sociedade encontrou uma solução, dividindo em facções e cada uma seria responsável por alguma atividade no meio, desde o governo até a segurança e os divergentes (pessoas classificadas com mais de uma facção) são considerados uma ameaça a sociedade já que não podem ser manipulados em testes que as facções costumam realizar. São classificados como altamente perigosos e incontroláveis.
 
Comecei o livro empolgada (talvez um efeito prolongado da última saga), mas essa emoção foi passando já que quase até o final não tinham muitas ações que o livro pedia. Contudo a história ainda era envolvente e com o passar de algumas páginas, já estava torcendo para que a Tris se desse bem nos seus testes. No fim do livro houve uma reviravolta que me deixou sem dormir nos últimos capítulos, terminando o livro com um terrível gosto de “necessito terminar essa história” A leitura foi rápida e cativante, mas poderia ser melhor, Veronica focava nas ações da Tris e pouco em relação ao personagem como a família e com Tobias, o instrutor e amor da nossa querida heroína.
Infelizmente não pude dizer que me apaixonei por algum personagem... Mas quem sabe no Próximo?

domingo, 26 de maio de 2013

A espetacular vida da morte


 
 
Editora: Gutenberg
Autor: M.J. Macedo
Ano: 2012
Páginas 245
 
              ***
Horácio Portobello é um jornalista bacana e muito dedicado ao seu trabalho, contudo após um incidente com o Editor da revista a qual trabalha (A verdade nua), Horácio se viu desempregado e sem grana, e para resolver esse pequeno infortúnio Horácio começa um novo empreendimento,vender Cachorro quente, e é num dia "árduo" de trabalho enquanto preparava um dogão duplo com molho especial Cheddar + guaraná quando um acidente envolvendo carros, vacas e adubo aconteceu, dando muito trabalho para os bombeiros que tiveram que salvar os soterrados pelo adubo muito malcheiroso, uma misteriosa figura vestindo um manto preto com capa puída, segurando uma foice e com uma voz imponente e misteriosa diz: “Vê ai um dogão duplo, por favor! Ah e sem purê!”. Após o espanto e quatro dogões + guaraná e um bom papo sobre a existência de algo improvável a Morte pede ao Horário que seja o escritor de sua biografia!
A espetacular vida da morte de M.J. Macedo é um livro engraçado e irônico, aonde a Morte conta várias histórias de experiências de vida (ou morte) do seu emocionante trabalho que a própria morte leva com bastante indiferença, deixando a leitura muito mais descontraída.
Apesar de ler ótimas resenhas sobre esse livro, das indicações e da capa que, diga-se de passagem, é muito bacana, ao ler o livro à impressão que tive foi de ver um filme pastelão. As cenas narradas quase sempre eram clichês (sem problemas até então),muito obvias e sem muita criatividade. Sim, consegui rir bastante, mas esperava um livro melhor!
 Com exceção da Morte, os personagens eram básicos, ao ver o jeito do Horácio não conseguia para de pensar em Leslie Nilsen no filme “Corra que a Policia vem ai!”, amo o filme, mas não ficou legal um livro com essas características, Bem como o editor da revista que sofria de todos os tipos de problemas causados por Horácio como uma versão um pouco mais sofisticada do personagem Seu Barriga do “Chaves”.
No geral é um bom livro, uma história bacana e fácil de ler. MJ foi bacana com uma ideia de escrever a biografia da Morte, incluindo vários personagens bacanas como As Fadinhas com treinamento militar. Apesar de não ter atingido minhas expectativas, apesar de ter achado a capa mais interessante que o livro em si, é um ótimo livro para quem quer dar algumas gargalhadas!
 
OBS: Todas as palavras "BACANAS" foram propositalmente colocadas no texto.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

O Teorema Katherine


...Colin conhece Katherine. Katherine gosta de Colin. Colin e Katherine namoram. Katherine termina com Colin. É sempre assim...
Edição: 1
Editora:
Intrínseca
ISBN:
9788580573152
Ano:
2013
Páginas:
304
Tradutor: Renata Pettengill

Colin Singleton está se preparando para uma viagem, a princípio sem data de volta, na companhia de seu melhor e talvez único amigo Hassan (ou paizinho como o mesmo se refere), eles embarcam em uma aventura de autoconhecimento e de perda total de consciência e quem sabe de um novo rumo profissional e por que?  Colin levou um fora de mais uma namorada, pra ser exata é a namorada número 19, mas não são 19 garotas normais, são 19 Khaterines, Coincidência? Acho que não!!


                                           
"Quando se trata de garotas (e, no caso de Colin, quase sempre se tratava), todo mundo tem seu tipo. O de Colin Singleton não é físico, mas linguístico: ele gosta de Katherines. E não de Katies, nem Kats, nem Kitties, nem Cathys, nem Rynns, nem Trinas, nem Kays, nem Kates, nem — Deus o livre — Catherines. K-A-T-H-E-R-I-N-E. Já teve dezenove namoradas. Todas chamadas Katherine. E todas elas — cada uma, individualmente falando — terminaram com ele."


 Colin terminou a escola com um ar de fracasso, pois sabe que de menino prodígio ele é agora somente um Jovem inteligente, e não um Gênio como se espera dos pequenos nerds, e toda essa frustração atingiu sua ultima paixão o deixando mais pra baixo e depressivo. Visando ser uma solução para seus problemas pessoais e sentimentais, Colin agora busca inventar algo que o deixará reconhecido e admirado no meio cientifico e quem sabe em todo mundo.
E nessa sua busca por um EURECA! Colin e Has acabam em uma cidade pacata com muitos caipiras e lá conhecem a menina Lindsay, uma jovem que não se encaixa em lugar nenhum, mas tem um bom coração como os “véios” costumam dizer e que tem um namorado grande e bonito (“O outro Colin” (OOC), carinhosamente chamados pelo Colin e Has). Lindsay, Colin e Has que aos pouco se tornam grandes amigos com características e personalidades diferentes, mas que se completam, viverão pequenas e importantes aventuras da qual fará nosso estimado ex-menino Prodígo ver que o mundo é um pouco maior que Matemática, Livros e principalmente KHATERINES!
Eu amei esse livro! Eu amei o Colin, Eu Amei o Hassan e até a Lindsay tinha lá suas graças que me conquistava!!! John Green permanece com seu estilo meio Irônico, engraçado (conforme A culpa é das Estrelas) Conseguiu criar uma história divertida, criativa e empolgante, que nos faz torcer por todos os personagens (até por quem não merece) e claro não posso deixar de falar das notas de rodapés (prá lá de engraçadas!) e sua preciosa explicação com a ajuda do amigo Matemático no fim do livro .

Enfim.. Leiam e vejam e comprovem que mesmo o mais inteligente de nós ainda tem algo a aprender ...

domingo, 19 de maio de 2013

O Morro dos Ventos Uivantes


O Morro dos ventos uivantes


A Elite

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais América se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspem no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam viver juntos.
 

Edição: 1
Editora: Seguinte
Ano: 2013
Páginas: 360
Tradutor: Christian Clemente
 
Quem ficou esperando por um bom tempo o lançamento de um livro sabe como é difícil controlar a emoção ao encontra-lo disponível na livraria, a apenas um passo de começar a desfrutar da leitura (O Pagamento). Bem foi assim que aconteceu comigo quando fiquei esperando por 3 meses (pouco tempo até), para dar continuação a umas das histórias mais apaixonantes que já li.
Posso estar exagerando, mas não me importo, A Elite foi um dos 3 livros mais esperados por minha pessoa este ano e quando comecei a leitura, demorei apenas 7 horas para concluí-las! T R U E !
A Seleção começou com milhares de meninas sonhadoras de Illéa, foi reduzido para 35 aonde nossa querida América foi escolhida, e das 35 somente 6 ficaram na disputa, agora pertencem A Elite e mais uma vez América um pouco mais decidida (só um pouco) continua na corrida pelo coração do príncipe Maxon e consequentemente pela coroa. O Príncipe precisa fazer sua escolha  ao mesmo tempo em que ajuda seu Pai e as meninas tão mais competitivas quanto Meri está mais confusa.. só que suas duvidas são sobre a Coroa, visto que seu sentimento quando ao Príncipe está mais decidido. Apesar das investidas do seu ex Aspen(que perdeu minha confiança no primeiro livro), América percebe onde realmente está o seu coração. E pra apimentar tudo, Ela precisa lidar com todas as investidas dos Rebeldes (que não se cansam!  NUNCA), com as atividades do castelo, com a pressão da disputa e com a Confiança de Maxon (fofo).
Como A Seleção, o segundo livro da saga está perfeito. Sua escrita está coesa e fácil de ler ou sonhar (no meu caso)! Os personagens continuam com seus modos cativantes (ESTOU FALANDO DO PRINCIPE MAXON). Kiera Cass mostrou o quanto criativa é ao deixar um suspense no ar com relação aos rebeldes, com a verdadeira história de Illéa e ao Rei (nunca gostei desse Cara). América está mais confusa, mas vamos dar um crédito ela só tem 16 anos e precisa aprender como é viver ao estilo de uma Rainha.
Não posso deixar de indicar esse livros para todos que gostam de fugir um pouco da realidade para viver um conto quase de Fadas!!

Orgulho e Preconceito - Jane Austen


sexta-feira, 17 de maio de 2013

A culpa é das Estrelas


A culpa é das Estrelas


“Alguns Infinitos são maiores que outros...”
Autor: John Green
Páginas: 288
Editora: Intríseca
Ano: 2012
O que fazer quando a vida que vivemos tem data de término determinada? Quando nada do que você faz pode impedir o avanço de algo que pode consumir sua vida? E como levar tudo isso sem afetar aqueles que estão a sua volta?
Esses são alguns dos muitos dilemas da Hazel Grace, que tem somente 16 anos e diferente de todos os adolescentes de sua idade, não tem um futuro promissor. Hazel possui um caso avançado de câncer e sua vida se estende graças a um remédio que não ajuda a ninguém... só a Hazel!
Tudo que ela quer é ficar em casa e assitir mais um episódio de Américan Next Topel Model, Mas tudo que seus pais querem é que ela viva sua adolescencia limitada da forma mais normal possível, Incluindo estudos(quando pode) e ir a um grupo de apoio que só a faz entrar em depressão (que pra eles é um sintoma se se estar morrendo).  Contudo Hazel conhece Gus, um jovem bonito, inteligente e com um ótimo senso de humor (talvez um pouco irônico), e que usa dos artifícios que tem para viver sua também limitada vida da melhor maneira possível. E é então que os soluções chegam
Para ler esse livro precisamos de muitos lenços de papel , Não é uma história triste, e sim uma história envolvente aonde os personagens se tornam tão próximos que sofremos com eles. John Green me surpreendeu! Ele me fez rir, chorar e sonhar com essa trama, diferente e muito emocionante. Soluços e prantos foram o que aconteceu comigo no trajeto Baixada-Rio, não conseguia disfarçar, estava vendo o motorista parar o ônibus para perguntar se estava tudo bem! A forma como o romance foi escrito não nos deixa constrangidos pelo cancer, sua simplicidade e seu alto conhecimento das doenças apresentadas, foi muito bem estudada (como o mesmo disse no fim do livro), a leitura é fácil de acompanhar, a história é narrada pela Hazel e traz a tona todas as suas questões sofre sua vida, mostrando sua reação  a aqueles que estão longe de saber o que viver um cancer,  e a aqueles que abraçam sua história.
Após as lágrimas vem a reflexão, apesar de ser somente um livro, existem muitos com histórias pessoais até piores que a de Hazel, e fazemos dramas por nada! Quando temos um problema tentamos resolvê-lo de todas as formas possíveis! Mas e quando não podemos? Esse livro me fez refletir que a vida pode ser boa independente do que passamos mas temos que aproveitar enquanto temos pessoas queridas a nossa volta.
 
 
 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Charlotte Street

Tudo começa com uma garota... (porque sim, sempre há uma garota...) Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo... E agora Jason — ex-professor, ex-namorado, escritor e herói relutante — se depara com um dilema. Deveria tentar seguir A Garota? E se ela for A garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder... É engraçado como as coisas algumas situações se desenrolam...


Autores: Danny Wallace
Titulo: Charlotte Street
Selo: NOVO CONCEITO
Ano: 2012
Número de páginas: 400
Assuntos: ROMANCE
Charlotte Street foi mais um livro que eu comprei pela Capa... Gosto de corres ricos e dessa vez valeu a pena, pois esse Romance escrito por um Homem (que é muito diferente quando escrito por uma mulher), me fez sonhar mesmo quando estava acordada.
Jason Priestley ,o que não é ator de Barrados no Baile,  é ex-professor e atual escritor de criticas de um jornal que ninguém lê, não tem casa, e tem uma ex-namorada ainda não superado que acabou de noivar, mas a história começa mesmo quando Jason com um ato não inglês, ajuda uma bela garota atrapalhada ao pegar um taxi, a garota se foi e nas mãos de Jason ficou sua câmera descartável e vários Dilemas.
Esse é o primeiro livro que leio do Danny Wallace, mas fiquei feliz em saber que ele escreveu o livro “Sim, Senhor!” que foi pro cinema, interpretado pelo fantástico Jin Carey, mas voltando ao livro... DW foi bem criativo com esse romance, um tema um pouco batido por hollywood, quando tudo da errado e no fim (ooohhhhhh), mas e daí? Gosto de Clichês, a história é narrada por Jason e algumas partes ele fala com a gente diretamente o que deixou a história engraçada. Foi uma leitura agradável e era difícil largar o livro nos momentos de tensão.
O Livro teve muitos "O que?" e outros "Ahhh", mas definitivamente o final foi bem surpreendente, fugiu do obvio e me deixou mais encantada. Indico definitivamente essa história totalmente irreverente só por existir e acho que vou comprar uma passagem pra Londres só pra tomar um chá na Charlotte Street e ver a moda passar!
OBS: Quero comprar uma câmera descartável e registrar os pequenos e inesquecíveis momentos que passamos na nossa vida!

A Seleção

 Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de suas vidas. Entrar em um mundo de vestido brilhantes e joias de valor inestimável. De viver em um palácio e competir pelo coração do lindo Príncipe Maxon. Mas para América Singer, ser Selecionada é um pesadelo. Isso significa virar as costas para seu amor secreto, deixar sua casa para entrar em uma competição acirrada por uma coroa que ela não quer e viver em um palácio constantemente ameaçado por rebeldes violentos. Então, América conhece Príncipe Maxon. Gradualmente, ela começa a questionar todos os planos que fez para si mesma – e percebe que a vida que ela sempre sonhou não é nada comparada com o futuro que ela nunca imaginou.
Título Nacional: A Seleção
Ano de Lançamento: 2012
Número de Páginas: 368 páginas
Editora: Seguinte
Quando entrei na Livraria e comprei  A Seleção, pensava que estava levando outro livro, (sou campeã em confundir tudo), e ao ler a sinopse acima fiquei desanimada, apesar da capa fofa tive um pré - arrependimento. Mas como uma boa leitora sem nada pra fazer num trânsito caótico do Rio, comecei a ler para passar o tempo. Resultado: no dia seguinte estava com o livro já concluído e na internet procurando a continuação que só veio para  nossas mãos 3 meses depois!!!
América Singer é uma menina decidida, já tem seu futuro planejado e tudo que ela precisa é atingir a maioridade, enquanto isso ela fica ouvindo os planos de sua mãe que igual a todas as mães de Illéa, quer que sua filha se inscreva na Seleção aonde o Príncipe Maxon irá escolher sua futura Companheira. Não preciso dizer que ela participará e junto com 34 garotas ela vai passar um tempo no castelo com a família Real e seus servos  e essa experiência a fará refletir sobre a sua família, sobre Illéa, sobre amigos e amores e o principal.. Sobre quem realmente ela é!!!
Kiera Cass usou um cenário futurístico  pós Guerra muito interessante, aonde a Monarquia volta a imperar então estamos no futuro mas  em estilo de governo ultrapassado (Verdade seja dita!), sua escrita é fácil e coesa e quando percebemos lá se foram 50 páginas! Não preciso dizer que fiquei apaixonada pelo Maxon, e que desde o inicio já era o meu personagem favorito nesse romance, que era tão envolvente que às vezes eu sentia o que a Meri sentia (Loucura! Eu sei!). Pela primeira vez li um livro que ao mesmo tempo que queria saber de tudo.. queria que ele não acabasse.
Resumindo .. Amei!! E indico pra todas as meninas que sonham com seu “Príncipe encantado!”
 
SPIN OFF!!!
O Principe - Kiera Cass
Kiera nos presenteou com um spin off contando como foi realizado a seleção das 35 meninas, aos olhos do Principa Maxon. Mostra sua vida no Castelo antes das Meninas chegarem e como ele lida com os Pais.
Como a seleção, tudo foi bem explicado e se antes eu gostava do Principe Maxon, hoje eu desejaria ter 17 anos, ser bonita e participar da seleção!!
 
Pra quem deseja ler, O príncipe está disponibilizado em E-book no site da Editora Seguinte .   Enjoy!!!

sexta-feira, 22 de março de 2013

Como se livrar de um vampiro apaixonado


"...Cadê aquele ônibus idiota? E por que, afinal, meu pai precisa ser tão a favor do transporte coletivo? Por que não posso ter um carro como qualquer aluno do ensino médio? mas, não, eu tinha que compartilhar a viagem para salvar o meio ambiente. Quando eu for sequestrada pelo cara ameaçador que está debaixo da arvore, é capaz de papai insistir para que minha foto de desaparecida seja impressa apenas em papel reciclado..."


Jessica Packwood levava uma vida sossegada na zona rural da Pensilvânia, curtindo o primeiro dia de seu último ano escolar, quando se depara com um estranho enquanto esperava o ônibus da escola, antes que ele conseguisse alcança-la o ônibus vem e ela escapa de algo que acreditava ser perigoso. Só que Jess não contava que esse perigo, era um aluno de intercambio que se hospedaria em sua casa e o Pior... Lucius Vladescu (como se chamava) se dizia ser um Príncipe Vampiro Romeno que veio buscar Jessica (que na verdade se chama Antanásia Dragomir) que está desde a infância destinada a se casar com ele (através de um Pacto), para enfim reinarem em toda Bucareste (região dos vamp.), colocando um ponto final nas premissas de guerra que havia entre as duas famílias.
Entre as minhas pesquisas em busca de livros, acabei me deparando com esse título, de cara pensei “Meu Deus, será este mais um livro que falará da maçante e saturada história de amor entre vampiros (não vou dizer que brilham) e garotas ingenuamente apaixonadas e doidas para serem mordidas?” honestamente deixei este passar e busquei outros assuntos... Mas devo admitir que título intrigante, horroroso! mais intrigante não saiu da minha cabeça. A fim de me certificar que não leria esse livro, acabei buscando algumas informações sobre ele e o resultado: A vontade que deveria sumir... Triplicou... E aqui estou eu.
Beth Fantaskey quando escreveu esse livro criou uma personagem comum, pouco notável, que sofria bulling por ser nerd (e no passado um pouco gordinha) e fraca para lidar com os problemas (Talvez graças à criação que teve dos pais vegetarianos, ambientalistas, super amáveis e sei lá.. esquisitos). Jess conhece Lucius e o repele de todas as maneiras possíveis, quem não faria isso? Ele é medonho!! Ela tenta viver normalmente, com um novo namorado e com sua melhor amiga Mindy. Mas Lucius tenta mostrar insistentemente a Jess quem realmente ela era e o lugar que pertencia, contudo confronto de culturas e a acolhida que recebeu dos pais de Jessica nunca comparada a que recebeu dos Tios na Romênia ele começa a pensar se cumprir o Pacto valeria a pena.
O livro é emocionante! Diferente do que já li a respeito da categoria, mantendo a tradição dos verdadeiros vampiros, no inicio fiquei descrente, mas fui tomada pela história de uma forma que estava torcendo por uns e detestando outros como se fossem reais. A história é contada por Jessica, sempre irônica e pandega, mas podemos ver algumas cartas que Lucius escreve para seus familiares na Romênia (me apaixonei por ele definitivamente). Quem gosta de se aventurar nesse estilo (Não sou chegada, mas... Amei!) recomendo muito.
Ahh! E tome muito cuidado com os garotos altos, esquisitões, de capa e calças pretas olhando direto pra você... Pode ser que seja seu príncipe!!!

Como se livrar de um vampiro apaixonado
 (Jessica's Guide to Dating on the Dark Side)
           Autora: Beth Fantaskey
           Editora: Sextante Ficção
           Páginas: 295

quinta-feira, 21 de março de 2013

Não tenho dúvidas de que...


O lado Bom da Vida








“...Ahhhhhhhhhhh, nós quatro começamos a cantar, soletrando rapidamente as letras com nossos braços e corpos  - “E! – A! – G! – L! – E! – S!   EAGLES!”– Estendendo os dois braços e a perna para fazer o E, tocando as pontas dos dedos acima da cabeça pra fazer o A, e assim por diante...”
               
 O livro conta a história de Pat People, um ex-professor de História, torcedor do Eagles, que acaba de sair de uma clinica psiquiátrica. Viciado em exercícios ele volta a morar com os Pais. Seu único objetivo é se tornar uma pessoa melhor e assim voltar para sua ex-mulher Nikki e por fim no “Tempos Separados”.
                Pat está perturbado, não sabe quanto tempo passou no “Lugar Ruim” como ele chama, mas tem certeza que não quer voltar pra lá. Não entende porque tantas coisas mudaram tão repentinamente e porque algumas de suas vontades não estão sendo atendidas. Está determinado a mudar pra melhor, sabe como era no passado, mas não recorda dos últimos acontecimentos que mudaram tanto sua vida.
                Quando decidi ler esse livro, estava com minhas dúvidas, Primeiro porque não gosto de comprar livros que tenham a mesma capa do filme (mas a curiosidade foi maior) segundo porque leio romances moderadamente e não estava muito a fim de ler mais um. No entanto no primeiro capítulo já tinha percebido que “O lado bom da vida” não era um romance qualquer, ele não tratava somente da vida amorosa de Pat e sim de toda sua vida!!!  Assim, logo de cara me apaixonei por Pat (costumo me apaixonar por personagens frequentemente) seu esforço para mudar a sua História é impressionante. Mesmo chegando ao limite algumas vezes, a forma como Pat encontra seu controle “... – fecho os meus olhos, murmuro uma única nota e, silenciosamente, conto até dez, esvaziando minha mente...” (preciso tentar isso) é notável.
                É um livro maravilhoso! (sim, sou exagerada!) nos deixa refletindo sobre nossos problemas e como lidamos com a vida. Os personagens foram muito bem colocados na história pelo Matthew Quick, com todos os defeitos e virtudes.. Ele não poupou ninguém.  Recomendo a todos, pois me fez mudar o meu modo de ver a vida, como Pat agora acredito em finas felizes!

O lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
Editora: Intríseca
Autor: Matthew Quick
Páginas: 254


segunda-feira, 11 de março de 2013

Orgulho e Preconceito



Esse post é muito importante por se tratar do meu livro favorito, da minha escritora favorita e principalmente da minha personagem favorita.


A chegada a cidade de um jovem “Solteiro”, junto com alguns amigos, com a finalidade de morar uma propriedade no campo chamada Netherfield  perto da familia Bennet é motivo de muito alvoroço já que todas as 5 irmãs já apresentadas à sociedade são solteiras, contudo somente as duas mais velhas e mais ajuizadas , Jane e Elizabeth Bennet (que Sou fã) encaram a situação apenas como novos conhecidos.
Elizabeth Bennet como qualquer outra garota busca uma boa distração em Bailes e jantares oferecidos pelos cidadãos Com uma inteligência inigualável, respostas irônicas e opiniões sinceras ela se vê muito diferente do resto da família com exceção da sua irmã mais velha Jane que é dotada de uma condescendência inimaginável (empolgada com a escrita do livro).




O primeiro e turbulento encontro entre Lizzie(assim chamada pelos íntimos) e o Sr. Darcy ocorre um atrito que a faz repeli-lo de qualquer sentimento de amizade futura, e seu julgamento a respeito de Darcy piora à medida que ela conhece o oficial George Wickham (Um charlatão, enganador, mentiroso e viciado em jogo). E Darcy , que de inicio se mantem longe e frio com os demais, se encanta com Lizzie desde esse primeiro encontro, e luta (em vão) com todas as suas forças para não se apaixonar, pois a diferença social, a impressão deixada pela Família de Lizzie (que não é nada boa) e com ajuda de alguns amigos interesseiros, ele não vê futuro nesse relacionamento.
Então esse drama fica interessante... Pois com vários acontecimentos que colaboram para o confronto de Darcy e Elizabeth nos deixam mais envolvidos a ponto de não querer parar de ler nunca (sem exageros)




Esse romance, mostra que os costumes mudam, as atitudes mudam, mas as Pessoas são as mesmas ... Interesseiras, ignorantes, orgulhosas e preconceituosas. A Trama se desenrola com facilidade, mostrando sempre Elizabeth com suas dúvidas, suas preocupações e o principal o seu amor que como o de Darcy vai crescendo e vencendo as barreiras impostas pelo mundo.  Não existe vilão, não existe mocinha e nem herói somente seres humanos imperfeitos lutando contra eles mesmos e vencendo .. Vencendo o “Orgulho e o Preconceito” desculpe a ambiguidade!.. Esse livro se tornou minha leitura obrigatória todo o ano e recomendo para todos os leitores apaixonados por uma boa escrita, afinal Jane Austen foi um prodígio na sua época e não foi à toa que seu romance completou 200 anos e ainda encanta muita gente.


                                          Outras Capas: